Google+ Followers

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Lixo revira

De bar em bar
De mercado em mercado
Embalo
As caixas da vida
Os lixos temidos
Como uma vida bandida
Dos tantos estados
Do corpo e da mente
Se sente
Que não se sente
Excluído
Se não fosse
Seria
Os despejos
Do que valia
Vale
Pelo fato de reutilizar
O descarte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário